24/04/2017

Resenha: Um homem especial - Jaqueline de Marco

Um homem especial

Autor(a): Jaqueline de Marco
Editora: Amazon
Páginas: 13
Resenha por: Viviane
Nota: 4/5





Sinopse: Marcelo é um profissional de 30 anos muito insatisfeito com o mercado de trabalho. Está estagnado no mesmo cargo há muito tempo e, para piorar, não suporta seu prepotente chefe. Não que sua vida pessoal esteja muito melhor. Há anos não tem um namorado e ultimamente tem dedicado toda sua atenção somente a correr atrás de sua paixão platônica: o Homem Especial. Um herói misterioso, que nos últimos anos têm protegido São Paulo de criminosos e desastres naturais com seus poderes. Marcelo nem sequer o conhecia pessoalmente até que uma situação de perigo o coloca cara a cara com o herói. Porém, será que o Homem Especial é mesmo tão misterioso e desconhecido assim?

Resenha: Marcelo trabalha em uma empresa e, após um erro que ele não cometeu, tem que ouvir o sermão de seu chefe, William (apelidado de Lúcifer por seus subordinados), um homem lindo, de olhos claros, quase violetas.

Marcelo nutre um amor platônico por um super-herói que protege São Paulo, que todos chamam de Homem Especial.

"E a gente vai à luta e conhece a dor. Consideramos justa toda forma de amor."

Após aquele cansativo dia de trabalho, ao voltar para casa, Marcelo chega em um mercado do seu bairro para comprar ração para seu gato e eis que fica sem ação ao dar de cara com William, que para sua surpresa é super simpático com ele.

A conversa ia bem, até que, de repente, ouvem-se tiros e, instintivamente, Marcelo se abaixa e, ao levantar, não vê nem a sombra de William. Enquanto os bandidos esvaziavam o caixa, eis que surge ele... O Homem Especial, salvando a vida de todos.

Após o acontecimento, o super-herói troca algumas palavras com Marcelo, que quase infarta de emoção, quase não se dando conta de o quanto os olhos e o sorriso de seu salvador são-lhe familiares.

"Parecia que eu o conhecia de algum lugar. De uma outra vida, quem sabe? Afinal, não era assim que almas gêmeas funcionavam?"

Contos são bem difíceis de resenhar devido ao seu número reduzido de páginas, mas quando a estória é legal, vale a pena deixar registrada a nossa opinião.

21/04/2017

Resenha: As grandes aventuras de Daniella - L. L. Alves

As grandes aventuras de Daniella

Autor(a): L. L. Alves
Editora: Arwen
Páginas: 240
Resenha por: Viviane
Nota: 4/5





Sinopse: Bom, o que eu tenho a dizer sobre esta história maluca que estou prestes a contar? É simples: vocês não vão acreditar. Sério mesmo. Vai parecer loucura, com minha boca suja, dois pés esquerdos, noites inusitadas e quilinhos a mais (muito mais, mas não vamos entrar em detalhes...). Mas vou fazer o quê? É a verdade. E eu vou contar para vocês porque... Sei lá. Na verdade, eu nem devia estar contando, alguns de vocês vão se chocar. Ainda está aqui? Bom, o risco é todo seu. Prepare-se.

Ah, é verdade, esqueci de me apresentar (típico). Meu nome é Daniella Fagundes, vinte e oito anos, namoro com o Thiago há dois anos e posso dizer que tudo está mais que perfeito! (xi, exagerei agora, né?). Também adoro comer e sou diferente de qualquer outra mulher que já tenha contado sua história para vocês. Por quê? Porque sou uma daquelas mulheres conhecida como gordinha. Sabe como é? Eles não se referem a mim como a sagaz Daniella ou a superconfiante Daniella. Sou apenas a gordinha do grupo. Sempre tem que ter um, não é?

Bom, é isso aí, acho que deu para entender. Afinal, vocês estão prestes a conhecer as minhas aventuras de autoconhecimento e de... Comece a ler, ué. Não quer perder um segundo, quer?

Resenha: Este lindo livro eu ganhei ano passado da minha filha, Larissa. Quando ela me deu, disse algo do tipo: "É para ti te divertir e parar de se chamar de gorda", enfim, ela queria melhorar minha auto-estima.

O livro narra a estória de Daniella, uma protagonista um pouco diferente do que costumamos encontrar nos livros. Ela está com quase 30 anos, mede 1,79m e pesa 110 quilos. Para falar a verdade, foi a primeira personagem gorda que tive o prazer de conhecer, e adorei.

A protagonista trabalhava em um escritório, mas não estava feliz no emprego. Então seu namorado, Thiago, abriu um escritório de advocacia e levou a namorada para ser sua secretária, só que, acredito que devido a insegurança da moça, logo eles acabaram rompendo o namoro. As coisas só pioram quando Dani vê que Thiago está muito próximo de Fernanda, a outra secretária.

Dani tem duas amigas inseparáveis, Sabrina e Paula, e durante o livro as três juntas protagonizaram muitas cenas hilárias. Com o rompimento do namoro com Thiago, Dani passou a ter algumas aventuras amorosas, mas devo dizer que, como tudo em sua vida, foi um desastre. Só para resumir: teve um sadomasoquista e um seminarista, e é claro que nada acabou bem, apenas com muitas risadas entre as amigas.

"Eu vou para o inferno. Definitivamente vou para o inferno. E eu odeio o calor. Odeio fogo. Odeio labaredas. Odeio ser torturada pela eternidade."

Mas o livro não foi só humor, teve uma cena bem forte em que Dani quase fora violentada por um dos sócios de Thiago. Após este episódio, a moça foi ao fundo do poço e teve um princípio de depressão, mas não vou contar mais, para não falar o que não devo.

No final do livro teve um capítulo narrado por Thiago, e foi muito bom, porque se em alguns momentos eu acabei tendo raiva dele, após ler, eu passei a vê-lo com mais simpatia.

Ah, mas a Dani não era aquela moça complexada por causa do peso. Claro que ela tinha seus momentos de se achar gorda ou feia (todas temos), mas, na maioria das vezes, ela colocava uma lingerie sexy, se olhava no espelho e se achava muito gostosa. Ela era muito assediada por onde passava, gostava de sair com vestidos justos e curtinhos.

"Minha gordura gritava e esperneava sempre que eu tentava me igualar as outras mulheres. A TV dizia isso, as revistas diziam isso, o mundo dizia bem claramente: você é diferente, nunca será como as outras."

O livro é todo narrado em primeira pessoa, e às vezes a Dani até "fala" com nós, leitores. Me diverti bastante e foi uma leitura super rápida, de tão gostosa que foi. Eu adorei conhecer a Daniella, gostaria de poder abraçá-la e dizer o quanto ela é linda por dentro e por fora!

19/04/2017

Dica de filme: Quatro vidas de um cachorro

Olá, livreiras e livreiros! Hoje eu trouxe para vocês mais uma dica de filme. A dica de hoje é de um filme lançado há pouco tempo e bem famoso, portanto vocês já devem conhecer. Acontece que muita gente se recusa a assisti-lo por conta de algumas polêmicas. Mas eu assisti o filme e amei, então vim indicar para vocês.

Ah, e antes preciso deixar claro que não tenho muito o que falar sobre o filme, pois o filme é baseado em um livro, que vocês podem saber mais na resenha que fizemos. Aqui nessa postagem vou falar bem resumidamente sobre a estória, mas se vocês quiserem saber mais, é só acessar o link da resenha.

Título: Quatro vidas de um cachorro
Lançamento: 2017
Direção: Lasse Hallström
Gênero: Drama / Comédia / Família
Duração: 100 minutos







Sinopse: Um cachorro morre e reencarna várias vezes na Terra. Embora encontre novas pessoas e viva muitas aventuras, ele mantém o sonho de reencontrar o seu primeiro dono, que sempre foi seu maior amigo.

Minha opinião: No filme temos, basicamente, um cachorro que nasce e depois renasce diversas vezes. Isso poderia ser fácil até, acontece que, em sua segunda vida, ele conhece um menino chamado Ethan e os dois se apaixonam logo de cara um pelo outro. O sentimento deles é algo inexplicável, incrível.


Bailey morre e depois reencarna novamente, como Ellie. Agora ele é um cão policial e precisa trabalhar salvando vidas. Seu dono está sempre com uma feição triste no rosto e não gosta muito de brincar com Ellie, com Ethan fazia.


Achei a vida de Ellie muito curta no filme, pois no livro ela é mais extensa e Ellie faz várias outras coisas, enquanto no filme ela aparece por pouquíssimo tempo.

Depois da vida do cão como Ellie, ele renasce na pele de um cão que nem existiu no livro, para começo de história. Enquanto no livro temos as quatro vidas do cachorro, no filme temos cinco, o que me deixou furiosa com os produtores do filme.

E, por fim, depois dessa vida inventada, temos a última vida de Bailey, a vida que irá trazer a ele de volta seu antigo dono, Ethan, agora já um senhor de idade...


No geral, é óbvio que o livro é mil vezes melhor, mas ainda assim amei o filme, pois não tem como não amar qualquer filme que tenha cachorros, não é mesmo?! Apesar dessa vida que surgiu do nada no filme, é uma obra linda, vale a pena assistir, mas principalmente ler o livro.

17/04/2017

Resenha: Lua de sangue - Cris Eliot

Lua de sangue

Autor(a): Cris Eliot
Editora: Selo Jovem
Páginas: 299
Resenha por: Viviane
Nota: 4/5





Sinopse: Quando uma Lua de Sangue aparece na Terra, a vida de Elise Stein sofre uma transformação surpreendente. Ao receber dons extraordinários, passa a integrar um clã, cuja existência ficou camuflada ao longo de milênios desde a saída do povo hebreu do Egito. Ela ainda se sente atraída por seu protetor que parece correspondê-la, mas a seu modo desastrado.

Dividida, Elise precisa enfrentar uma missão crucial: preparar a Terra para o 'ciclo de integração' provocado pela Lua de Sangue. A tranquila e chuvosa cidade de Avem se torna palco de incríveis acontecimentos sobrenaturais. No final, o poeta inglês estava certo o tempo todo: há mais coisas entre o Céu e a Terra do que sonha nossa vã filosofia.

Resenha: O livro narra em primeira pessoa a estória de Elise Stein (adorei este nome), uma jovem mulher de 21 anos que foi forçada a casar-se com Isaac, até então, seu amigo de infância. Não que ela fosse obrigada a casar, mas quando estava estava com 16 anos, seu pai adoeceu gravemente e, sabendo que teria pouco tempo de vida, quis deixar a filha amparada, casando-a com o filho de seus grandes amigos. Na ocasião, Elise não teve como recusar, e como eram amigos ela acreditou que pudesse dar certo.

"Não renuncie sua vida por nada, nem por ninguém. A vida é muito curta para se sacrificar pelos outros."

Mas, após o casamento, o amor não surgiu, e Isaac, vendo a esposa fria e distante, entregou-se ao alcoolismo, e junto com o vício vieram as agressões e os abusos. As fugas no meio da noite já eram rotina, mas um dia em que Elise se embrenhava no mato, tentando fugir do marido, brilhava no céu uma lua muito vermelha, cor de sangue e, em um momento de desespero, Elise descobriu que tinha o poder de dominar o elemento terra. Com este poder, teve a oportunidade de matar seu agressor, mas não o fez, passando assim no rito de iniciação. Ainda nesta noite, ela descobriria através do arcanjo Custódio que é uma elemental, alguém que tem o poder de dominar um dos quatro elementos e, no seu caso, a terra.

Imediatamente Elise se vê fascinada por aquele lindo anjo que a partir daquele momento seria seu guardião, e se as coisas já iam mal no casamento, agora só piorou. Elise precisa ser levada para um campo de treinamento, mas precisa da autorização do marido, então a jovem percebe que será uma missão impossível, já que Isaac vem desconfiando que a esposa o está traindo.

Com estas desconfianças, Isaac tenta agredir novamente Elise, mas agora ela tem um guardião, que tenta intervir, e como o marido tenta matar Custódio, a autorização é dispensada e Elise é levada imediatamente para o local do treinamento. Lá Elise conhece o arcanjo Miguel e os outros elementais que precisam ser treinados; descobre também que será a líder desse grupo novo. Porém algo terrível está acontecendo e Elise precisa partir em uma missão, mesmo sem ter sido treinada e saber realmente do que é capaz, e o pior: seu protetor, Custódio, não poderá ir com ela.

"O dia é agora! O passado se foi e o futuro pode não existir para você. Só existe o presente, o hoje."

O que me deixou impressionada nesta leitura foi a riqueza da pesquisa que a autora fez sobre anjos, arcanjos e momentos religiosos históricos, como por exemplo quando Jesus foi concebido e o momento de sua crucificação. Fica difícil não comparar sua obra com os livros de Dan Brown (O Código Da Vinci / Anjos e Demônios / O Símbolo Perdido / Inferno) pela riqueza de informações e o tanto que acrescentam na vida de quem lê.

Só no final do livro que descobri que é uma saga, então não teve final ainda, e terminou de uma forma que me deixou super curiosa para saber o que vai acontecer.

14/04/2017

Resenha: O garoto do sonho - Erick Mafra

O garoto do sonho

Autor(a): Erick Mafra
Editora: Astral Cultural
Páginas: 107
Resenha por: Larissa
Nota: 4/5
*Livro cedido pela editora para resenha




Sinopse: Maria Clara é uma jovem com uma vida comum, com pensamentos e rotina de uma vida comum. No seu primeiro dia de férias, presencia um acontecimento que a faz questi onar a razão da vida. Sem encontrar respostas em sua própria mente, Maria Clara então abre espaço para se relacionar com quem tem respostas. Em um sonho, conhece um garoto chamado Eryn, que é de outro planeta, um representante de uma Nova Cultura que lhe mostra uma nova visão de mundo, Deus, a Vida e o Amor.

Resenha: Ao receber um email da editora perguntando se eu gostaria de resenhar o livro, pensei "Será que é mais um livro de biografia de youtuber?". Eu não tenho preconceito com livros de youtubers, porém quando é uma biografia nós já ficamos meio "assim". Ao abrir o primeiro capítulo em PDF, que me foi enviado pela editora, eu tive a certeza de que o Erick era diferente. Não só pelo livro dele não ser uma biografia, mas também porque dá para a gente sentir (pelo menos eu senti isso) que ele não escreveu o livro com o intuito de ganhar dinheiro, mas sim de passar algumas mensagens à nós e lembrar-nos de algo que há muito foi esquecido: o Amor.

Maria Clara é uma jovem comum, como qualquer outra. Porém, num belo dia, ao sair de casa para caminhar - coisa que não gostava muito de fazer - ela presencia um acidente e começa a se questionar sobre coisas da vida e dos planejamentos de Deus.

Ao dormir, naquela mesma noite, Maria Clara sonha com Eryn (Erick Mafra), um ser angelical e alienígeno que responde à ela as perguntas que ela se fez antes de dormir.

"Todos compartilham o mesmo céu, Clara. Mas, às vezes, se esquecem disso."

Ao ir em uma festa de amigos, ela dá de cara com Cynn (Camila Sena), também um ser angelical e alienígeno. Cynn é uma gracinha, com suas pontas de cabelos azuis, e também ensina algumas coisas para Clara.

Ao sonhar novamente, Maria Clara conhece Nay (Nah Cardoso). É claro que Nay também diz e ensina coisas lindas para Maria Clara.

Por fim, em um pesadelo, Maria Clara encontra Koy (Koba), um rapaz cheio de vida que a mostra como tudo pode ser belo e explica que ela nunca está sozinha.

"A solidão é algo um tanto quanto engraçado. Para sentir-se só, você precisa se dedicar muito e imaginar muitas coisas. E mesmo assim você finge ser fechar, mas isso não é possível, pois você sempre terá contato com os outros, mesmo que indiretamente, seja pedindo um café, um bilhete no metrô ou usando uma camisa que foi feita por alguém, ou mais profundo ainda... Simplesmente existindo."

Todos esses personagens citados acima, que apareceram para Maria Clara de alguma forma ou de outra, são seres da Nova Cultura. Eles vêm de outros planetas para fazer com que nós, do planeta Terra, nos lembremos do Amor, esse sentimento que anda esquecido ultimamente. Mas não é o Amor somente de relacionamento amoroso, mas sim o Amor de todas as formas, ou seja, o Amor de amar ao próximo como a si mesmo.

Quanto à diagramação do livro, eu não consigo nem pôr em palavras o quanto esse livro está lindo por dentro. Vocês não tem noção! O livro conta com ilustrações praticamente em todos os parágrafos; fotos dos personagens (Eryn, Cynn, Nay e Koy), o que deixa nossa imaginação mais completa; músicas para o leitor escutar lendo cada parte do livro (conheci muitas músicas legais); além de no final ter um pouco sobre cada personagem, como se conheceram e algumas informações sobre os planetas de que vieram. Gente, que livro lindo!

Depois de todos esses elogios eu não preciso nem dizer que eu indico demais o livro, né?! Mas enfim, comprem e leiam esse livro, porque ele é diferente, a mensagem dele é algo que todos precisam sentir. É impossível terminar de ler o livro do Erick sem se sentir melhor, diferente. A Nova Cultura chegou e nós fazemos parte disso!